FMUSP imagem

Programa de Pós-Graduação em Nefrologia

 Histórico e Objetivos

 

 

O Programa de Pós-Graduação em Nefrologia da Faculdade de Medicina da USP teve início em 1980 (Mestrado e Doutorado). Foram defendidas 77 dissertações de mestrado e 175 teses de doutorado, desde a sua fundação até dezembro de 2016. Muitos egressos trabalham com pesquisa ou ensino e pesquisa em IES públicas ou privadas.

O programa tem como objetivo principal a formação de recursos humanos para a docência e a pesquisa. Com base nos princípios e objetivos da pós-graduação estrito senso, o programa forma e aprimora investigadores reconhecidos como de excelência pelos seus pares no Brasil e no exterior. São habilitados profissionais aptos a gerar novos conhecimentos, implantar e criar novos métodos de investigação científica, solucionar dúvidas sobre questões científicas não esclarecidas, e com alta potencialidade para trabalhar em IES. Esses profissionais são capacitados a divulgar os resultados de suas pesquisas em fóruns científicos internacionais de elevada qualidade, a publicar os seus projetos finalizados em periódicos científicos especializados de circulação internacional e impacto adequado, e participar, de modo decisivo no processo de inovação em políticas públicas de saúde e no desenvolvimento biotecnológico do país. Tais profissionais, ao final do sua titulação, particularmente no doutorado, devem estar aptos a orientar e formar novos investigadores e promover a nucleação de novos grupos de pesquisa. Para atingir estes objetivos, o programa é centrado no conceito de que o binômio orientador-aluno constitui a base sólida para o sucesso da titulação com mérito.

 

O corpo de docentes é constituído por 20 docentes permanentes. Todos os docentes são pesquisadores com linhas de pesquisa bem definidas e produtivas

 

Este grupo é responsável por 26 linhas de pesquisa e 136 projetos de pesquisa, e apresenta expressiva produção intelectual em periódicos de alto impacto. As linhas de pesquisa apresentam grande interface entre a clínica e pesquisa básica. A face clínica é baseada nos pacientes do complexo HC-FMUSP e a face experimental em três grandes unidades de pesquisa na FMUSP, os Laboratórios de Investigação Médica (LIMs).

 

Aproximadamente 90% dos investigadores que compõem o grupo de docentes permanentes captam recursos junto a agências de fomento, principalmente CNPq e FAPESP, incluindo projetos temáticos.

 

Temos forte política de cessão de bolsas e praticamente todos os alunos capacitados a recebê-las tem bolsas CAPES, CNPq ou FAPESP. Apoiamos e estimulamos fortemente a participação de discentes em publicações em periódicos científicos.

 

O programa possui diversas iniciativas de cooperação nacional em atividade. Estas envolvem praticamente todas as linhas de pesquisa, os discentes e docentes do nosso programa, e geraram publicações conjuntas em periódicos de elevado impacto. Permitem valiosas oportunidades de treinamento e troca de informações com pesquisadores de centros de qualidade reconhecida e com pesquisadores de centros emergentes ou menos desenvolvidos no nosso país.

 

O programa também possui várias cooperações internacionais em atividade. De maneira similar às cooperações nacionais, elas abrangem praticamente todas as linhas de pesquisa, envolvendo inúmeros discentes e docentes do nosso programa. A expressiva participação de pesquisadores de centros de excelência do exterior em nossa produção intelectual atesta o sucesso desta iniciativa. Estas parcerias viabilizam estágios no exterior, visitas de professores de centros estrangeiros ao nosso centro e preciosa troca de informações com pesquisadores de centros de qualidade de excelência em diversos continentes.

© 2013 Todos os direitos reservados. Assessoria de Comunicação Faculdade de Medicina da USP.
Sobre o Portal | Equipe do Portal | Política de uso | Direitos autorais | Mapa do Site |